« Voltar | Início » Articles posted by Ailton Medeiros (Page 2)

Uma ponte que parece uma catedral

Ponte Newton Navarro

O fotógrafo Ney Douglas realizou uma proeza: transformou a ponte Newton Navarro, em Natal, numa imensa catedral, confirmando o que disse um filósofo francês a respeito: as pontes estaiadas são as catedrais do século XXI!

Deslumbrante!

Abaixo, a catedral da Sagrada Família, em Barcelona. Uma ótima inspiração, sem dúvida.

http://www.dreamstime.com/-image10602317

 

 

Share

O 7 de Setembro de 2013 não passou de 171 da velha mídia

O fiasco dos protestos agendados para o 7 de Setembro foi um grande fiasco. Quem perdeu foi a velha mídia que apostou suas fichas, acreditando que o ronco da rua acordaria o gigante adormecido. Nada mais fascista, não é mesmo? Bem, o jornalista Paulo Moreira Leite escreveu uma análise impecável a respeito cujo título é Crocodilos derrotados. Segue abaixo:

Nossos cronistas que tentam impedir que os condenados da Ação Penal 470 tenham direito a uma revisão adequada de suas penas e mesmo uma segunda jurisprudência perderam um argumento depois de ontem.

Numa postura autoritária, que confundia seus desejos com a realidade, falavam do monstro, do ronco, do demônio das ruas para justificar a prisão imediata dos condenados.

Mas tivemos protestos de participação modesta, que confirmam não só a vergonhosa ignorância da fatia conservadora da elite de nossos meios de comunicação quanto às preocupações reais que afligem a maioria da população, mas também sua total falta de compromisso com a apuração e divulgação de fatos verdadeiros e informações confiáveis.

Querem fazer propaganda, querem ideologia – e não é difícil entender a razão.

Interessados num eventual proveito político do julgamento, tentam chantagear as instituições da democracia, sem importar-se, sequer, com outros prejuízos de natureza cultural que o estimulo à baderna possa produzir.

Como observou Janio de Freitas, pela primeira vez na história as pessoas saíram a rua num 7 de setembro sem “incluir, sequer remotamente, algo da ideia de nacionalidade, ou de soberania, de independência mesmo.”

Diz ainda Janio: “pelo visto, não faria diferença se, em vez do Sete de Setembro, a celebração mais próxima fosse o Natal. Ou Finados.”

Lembrando que somos uma pátria de desiguais, o Grito dos Excluídos disse a que veio. Mas só.

Os demais não disseram nada, embora fosse sobre eles que se disse tudo – especialmente, que o STF deveria se acovardar.

Há um componente maligno e manipulador nesse esforço para anunciar que um protesto será uma manifestação grandiosa.

Procura-se estimular o efeito manada naquele conjunto de cidadãos capazes de sair a rua porque acham que “todo mundo vai estar lá”. Numa sociedade pouco organizada como a nossa, onde os partidos políticos são o que são e as demais organizações sociais são aquilo que se conhece, muitas pessoas sentem-se desenraizadas e sem compromisso social maior. Ficam impressionadas com demonstrações de força.

Tenta-se contaminar nestes indivíduos um sentimento de solidão e isolamento caso não acompanhem os atos daqueles que se quer transformar numa “maioria” que ninguém ouviu nem diz onde mora nem sabe o que pensa – e muitas vezes nem pode ver o rosto, o que não é casual. Continuar lendo

Share

Suspeito de planejar atentato contra presidente se revela no Facebook

Fernando Brito deu o alarme no TijolaçoNão sou policial, nem policialesco. Mas não sou irresponsável e peço a sua atenção para o que vou descrever e mostrar. Nao estou sugerindo que seja um atentado. Mas a história é de arrepiar. O Globo publica agora à tarde que um grupo de “manifestantes” acampou diante do palanque presidencial montado para o desfile de Sete de Setembro. Nada demais, todos têm o direito de se manifestar.E a gente tem o direito de saber quem são.

O jornal os identifica como integrantes do Movimento Brasil Contra a Corrupção. Que tem um site na internet, mbcc.com.br registrado por Geraldo Magela Abreu, um de seus autores e o dono do registro do domínio na internet. Do Movimento e de outro, como os “Amigos do Tiro”, ainda em construção. Geraldo é um entusiasta de armas e pode ser visto aqui treinando tiros de pistola.Será que os alegres meninos que estão sentados ali sob a égide de seu “MBCC” sabem que seu líder é um “sniper”?

Denunciei aqui que um grupo de direita radical planejava um atentado contra a presidente da República no desfile 7 de Setembro. Eu sabia que Geraldo Magela Abreu integrava o grupo lendo suas postagens. Se alguém ainda dúvida?

Sua página no Face (não tem foto) e é ilustrada com a seguinte frase: “Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada”. Para bom entendedor, meia palavra basta…

Agora há pouco Geraldo se defendeu das acusações de preparar o atentado contra a presidente. Leia abaixo:
Prezados,

Peço que leiam os links abaixo, e vejam em que ponto chegamos. Que democracia é essa?

Antes, alguns esclarecimentos:

Não concordo com a Dilma em muitas coisas, mas votei nela, e até o momento, creio que ela não seja o maior problema do atual governo. Além disso, seja qual for o governantes que esteja no poder, torço pra que dê certo.

Além de tudo, sou reservista justamente do Batalhão da Guarda Presidencial. Se fosse preciso, e convocado pra isso, eu não pensaria duas vezes em dar a vida pela presidente, ou por qualquer outro que lá esteja, pois a democracia é algo que conquistamos com muito custo, e ela precisa ser mantida.

Também não concordo com acampamento na frente do palanque, justamente por ser área de segurança. A população tem o direito de manifestar, no entanto, deve haver respeito mutuo, inclusive respeito por quem quer simplesmente assistir ao desfile. Além disso, se estamos lutando justamente para que os politicos passem a respeitar as leis, não podemos, nessa luta, fazer o mesmo que eles, ou seja, desrespeitar leis.

Agora que vi este post, o site, e tudo mais. Vou responder, e depois ler os demais comentários.

1 – Não sou mais organizador do MBCC, saí justamente porque estava prevendo que tentariam atacar o movimento por minha causa, pelos fatores que irei expor abaixo. O domínio será transferido para outro organizador do MBCC assim que este nome for indicado;

2 – Não sou nem nunca fui líder do MBCC, como disse, não sou sequer organizador mais. Além disso, não foi o MBCC que organizou o acampamento.

3 – Não sou filiado a partido político, não porque sou contra eles, apenas porque não me identifico com nenhum. No entanto, converso tranquilamente com simpatizantes/militantes de qualquer partido, já votei em PT, PSOL, PSDB, etc. Não voto em partidos, e sim em pessoas, se a pessoa apresenta propostas com as quais concordo, se é ficha limpa, eu voto nessa pessoa. Acho que a diversidade de idéias, inclusive na política, é condição essencial para a democracia. É complicado chamar uma pessoa de idiota, disso, ou daquilo, sem nem ao menos saber um pouco mais sobre como a pessoa realmente pensa;

4 – Sempre defendi e sempre defenderei o pacifismo como instrumento para mudar a sociedade. Sou contra ações violentas tanto da parte da polícia, quanto da parte dos manifestantes, no entanto, caso alguém aja com violência, que assuma a responsabilidade pelos seus atos.

5 – Sim, sou atirador esportivo, registrado na Federação Brasiliense de Tiro Esportivo. Lembro que o Tiro Esportivo é um esporte olimpico, responsável, inclusive, pela primeira medalha de ouro do Brasil em Olimpiadas;

6 – Também defendo o direito a legitima defesa de todo cidadão, assim como o direito de possuir e portar uma arma, desde que cumpra os requisitos especificados na lei. Você que está lendo, tem o direito de discordar desta opinião, é claro, assim como eu tenho o direito de tê-la;

7 – Nunca cometi um crime, inclusive, este é fator necessário para se tornar atirador esportivo, visto que são apresentadas várias certidões de nada consta criminal;

8 – Para se tornar atirador esportivo, além dos requisitos já citados, é necessário fazer um teste psicológico muito mais complexo do que o teste para tirar uma carteira de motorista por exemplo, e que consegue detectar, entre outras coisas, se a pessoa tem alguma tendencia violenta, por exemplo;

9 – Nunca faria nada contra nenhuma autoridade deste país, como falaram que eu poderia estar planejando, simplesmente porque isso é contra as leis, e se tem algo que faço questão de respeitar são as leis, ao contrário de muitos autoridades;

10 – Sobre a Dilma, em especial, votei nela inclusive, acho que ela cometeu MUITOS erros, porém, não a vejo como problema, e mesmo que visse, a única coisa que poderia fazer é protestar, pedir por justiça, além de não votar nela nas próximas eleições. No entanto, o grande problema que vejo hoje é a falta de participação do povo no dia-a-dia politico do país, costumar nos manifestar e participar da vida política, somente quanto acontece algum ato de corrupção, ou quando a situação está ruim, o que pra mim é um grande erro. Também não sou bitolado ideologicamente, como já disse. Quer seja Dilma, Aécio, Marina, Joaquim Barbosa, PT, PSDB, PSOL, etc, etc, no poder, eu desejo é que faça um bom governo e dê uma vida melhor para nós brasileiros, pois merecemos.

11 – No mais, caso alguém queira algum esclarecimento adicional, estou a disposição.

Share

Deu no Clarin: Médicos argentinos querem participar do Mais Médicos

A notícia é destaque no jornal “O Clarin” desta sexta-feira: triplicou as consultas dos médicos argentinos que querem participar do Mais Médicos. Enquanto isso em Pindorama, médicos brasileiros boicotam o programa. Segue abaixo a matéria na íntegra:

Médicos que quieren irse a Brasil triplicaron ayer las consultas en el Consulado

POR MÁRCIO RESENDE

Fue tras la nota de Clarín, que reveló una situación que preocupa.

06/09/13

Aunque el primer periodo de inscripción al programa “Más médicos” terminó el 30 de agosto, el Consulado brasileño en Buenos Aires registró ayer un fuerte aumento de consultas de argentinos interesados en participar en una próxima convocatoria. Fue después de la nota que publicó ayer Clarín, que dio cuenta de que médicos de Argentina se están yendo al país limítrofe por un mejor sueldo, lo que puede provocar vacíos de atención sobre todo en las ciudades fronterizas.

“Ayer hubo una catarata de consultas. Se triplicó el número de mails, llamados y de público que se acercó personalmente para pedir información sobre el plan”, dijo a este diario Giuliana Sampaio Ciccu, responsable en el Consulado del programa “Más médicos”. Sólo en las primeras horas de la mañana ya habían recibido más de 20 consultas. “Creemos que ese número irá en aumento a partir de ahora”, agregó.

El interés de los nuevos candidatos pasa por las condiciones de trabajo en Brasil: con 4.200 dólares por mes, más casa y comida, duplica el sueldo promedio local con la mitad de la carga horaria.

Hasta ahora, el programa se divulgaba de boca en boca. Aún así, durante los últimos días de agosto el Consulado se vio desbordado. Pese a que el horario de atención es hasta las 15, fue necesario atender a los médicos durante los fines de semana y durante el feriado del 19 de agosto. Y los días de semana, hubo médicos “de campamento” hasta las 21. Ahora se espera un aluvión para la nueva convocatoria, a partir del 13 de septiembre.

La intención del gobierno de Brasil, según anunció oficialmente, es hacer convocatorias mensuales a profesionales para llenar las vacantes que no pueden ocupar con profesionales de su país.

Hasta ahora, 4.025 municipalidades solicitaron 15.460 médicos. Los cupos fueron llenados apenas por 1.096 brasileños, otros 99 brasileños que obtuvieron su diploma en el exterior, y 145 extranjeros. Además, llegaron al país 400 de los 4.000 cubanos que arribarán hasta diciembre.

Si bien los brasileños tienen prioridad para ingresar al programa, el número de deserciones internas no cesa. Mientras los extranjeros están en período de instrucción hasta el 16 de septiembre, los brasileños comenzaron a presentarse en sus locales de trabajo el lunes pasado. Las inasistencias se registraron en todo el país. En Río de Janeiro, por ejemplo, apenas 3 de los 17 médicos brasileños comenzaron a trabajar. En Fortaleza, de los 26 seleccionados, 11 ya desistieron. Los espanta ver la infraestructura de los lugares de trabajo o la inseguridad de la zona donde están los hospitales, y la vulnerabilidad de los puestos de salud en áreas violentas. Así y todo, los colegios de médicos locales se oponen a que lleguen profesionales extranjeros a ocupar esas vacantes.

El miércoles, después de discutir sobre el programa impulsado por la presidenta Dilma Rousseff durante más de cinco horas en el Congreso, el ministro de Salud, Alexandre Padilha, avisó desafiante: “Vamos a buscar médicos hasta en China”.

Para el ministro, el poco interés de los médicos brasileños en esta etapa del programa refuerza la necesidad de buscar profesionales en el exterior. Hasta ahora, Argentina fue el país que más médicos envió. Fueron 73, de los cuales 29 son argentinos, 7 bolivianos y 37 brasileños que vivían aquí.

Share

As feras do Saldanha

Vamos todos ao Lamas prestigiar “As feras do Saldanha” que será lançado no próximo dia 23.

O livro foi escrito por Thereza Bulhões, segunda mulher de Saldanha, e traz depoimento dela e das demais mulheres que fizeram parte da vida do lendário jornalista e técnico do Botafogo e da Seleção Brasileira.

Convite

Share

É proibido proibir…

Caetano Celoso de Black Bloc

E eu digo não, e eu digo não ao não
Eu digo: É!
Proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir…

De O Globo:

BRASÍLIA – A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal espera 50 mil manifestantes no dia 7 de setembro, quando quatro grandes eventos acontecerão em Brasília. Para conter atos de vandalismo e violência em meio ao desfile do Dia da Independência e o jogo amistoso Brasil x Austrália, o efetivo policial terá um aumento superior a 300%. O comando da Polícia Militar do DF avisa que prenderá todos os mascarados.
— Nós não queremos ver se repetir no DF o que nós temos visto em outras unidades da federação. Vamos agir com rigor para que aquelas pessoas que não querem se divertir sejam detidas. Qualquer um que sair da norma se transforma num contraventor e será preso. Mascarados vão ser detidos — alertou o comandante geral da Polícia Militar do DF, Jooziel Freire Melo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF, cerca de 150 mil pessoas estarão circulando pela cidade ao longo dos quatro eventos que a capital federal sediará no 7 de setembro: o tradicional desfile cívico, pela manhã, o jogo do Brasil, à tarde, o evento Celebrar Brasília, no início da noite e um Congresso de Dermatologia, que ocorrerá no Centro de Convenções próximo ao Estádio Mané Garrincha. Para dar conta de tudo isso, haverá um efetivo extra de 4 mil policiais militares; 150 policiais civis, 110 homens do Departamento Nacional de Trânsito (Detran) e 320 bombeiros. Somado ao efetivo que normalmente atua em Brasília, a cidade contará com 6.250 policiais militares no próximo sábado.
— Temos a informação de que, entre manifestantes de bem, pessoas vão se infiltrar para promover atos de vandalismo e violência. Há a informação de que há, inclusive, pessoas vindo de outros estados para cá. Sabemos que milhares de famílias, mulheres, crianças se deslocarão para o jogo. Não vamos permitir que atos de violência ponham em risco a integridade dessas famílias — disse o secretário de segurança pública, Sandro Avelar, ressalvando que o trabalho da polícia será conciliar o direito que as pessoas têm de se manifestar pacificamente com o daqueles que querem participar dos eventos festivos e esportivos da cidade.
A polícia sugere que quem for ao jogo se dirija ao estádio com a maior antecedência possível — o jogo começa às 16h e os portões serão abertos às 13h. E que não leve bolsas, mochilas e sacolas, pois as mesmas serão revistadas. A expectativa da Secretaria é que 30 mil pessoas assistam ao desfile; 68 mil ao jogo e 15 mil participem do evento Celebrar Brasília.

Share

O óbvio ululante

Assim como há juízes em Berlin, ainda existem jornalistas interessados em apurar em vez de falar bobagem no Twitter e no Face. Eu não invento nada. Os fatos estão aí na nossa cara, mas a estupidez de alguns não os deixa ver…

Tem gente que não consegue enxergar o óbvio por mais óbvio que o óbvio seja. Aprendam comigo: quando todos olham para o céu, eu olho para o chão. É lá que está a notícia. Mas o que é notícia? É tudo aquilo que os jornais não dão.

Sou radicalmente a favor da imprensa livre. O que não suporto são os donos dos jornais. E seus bajuladores. Alguns deles, acreditem, são piores que os patrões.

Share

Grupo radical de direita planeja atentados no 7 de setembro

Desfile

Bomba!

Um dos rostos invisíveis do grupo Anonymous no Brasil é uma mulher, carioca, 59 anos, solteira com estreitas ligações com oficiais da reserva que serviram a ditadura militar.

Ela é habitué do Clube Militar e costuma participar de seus eventos. Recentemente esteve nos EUA onde se encontrou com direitistas republicanos e cubanos Anti-Castro.

Ela comanda um grupo de radicais que planeja atentados nos desfiles do Rio e Brasília. Alguns deles estão infiltrados nos protestos contra o governador Sérgio Cabral. É necessário que a PF investigue suas ações urgentemente!

Outro Rio Centro, não!

A propósito, o Clube Militar criticou o editorial de “O Globo” que reconheceu como “equívoco” o apoio ao golpe militar de 1964. Intitulado “Equívoco, uma ova”, o texto do clube, publicado no seu site, diz que o jornal adota uma “mudança de posição drástica” e pratica uma dupla mentira ao se desculpar pelo apoio.” Trata-se de revisionismo, adesismo e covardia do último grande jornal carioca”, critica.

 

Share

Governadora do RN é condenada novamente por improbidade administrativa

Rosa

A governador potiguar Rosalba Ciarlini foi condenada novamente por improbidade administrativa. É o que informa a UOL. Pergunta que não quer calar: o senador Agripino Maia, líder do DEM, e seu aliado, não vai fazer nenhum pronunciamento em Brasília? Vamos aguardar, não é mesmo?

Da Uol:

A governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), foi condenada mais uma vez por improbidade administrativa pelo período que esteve como prefeita de Mossoró (2001-2004), segunda cidade mais importante do Estado e distante 285 km da capital. Desta vez, o motivo foi a autorização do uso da máquina pública para executar obras de melhoria num parque de vaquejada particular no município de Baraúna.

Na primeira ação de improbidade, também em 2013, Rosalba foi condenada por autopromoção em propaganda institucional. Segundo informações do Ministério Público Estadual (MPE), responsável por mover a Ação Cívil Pública, também foram condenados o ex-gerente de Infraestrutura, Yuri Tasso Duarte Queiroz Pinto e o proprietário do parque. A sentença foi do juiz Airton Pinheiro, por intermédio da 7ª Promotoria de Justiça da Comarca de Mossoró,que tramitou junto à Vara da Fazenda Pública.

Ainda de acordo com o MPE, a ex-prefeita de Mossoró e atual chefe do Executivo potiguar e seu ex-assessor foram condenados “por autorizar diretamente o uso de caminhões caçamba, tratores, perfuratriz, combustível e mão-de-obra da Prefeitura de Mossoró para a execução do serviço no referido parque”. Já o proprietário, por ter obtido “benefício direto decorrente de uma prática ilegal”.

Rosalba Ciarlini terá que ressarcir integralmente os danos causados ao erário de Mossoró, bem como pagar multa equivalente a duas vezes o valor do prejuízo. O ex-gerente executivo, Yuri Tasso, e o proprietário do parque também foram condenados ao ressarcimento dos valores.

Share

Seedorf não é somente o craque do Botafogo; Ele é também o melhor jogador atualmente em atividade no Brasil

Seedorf

Seedorf deu uma longa entrevista ao site da Fifa cujos trechos este blogueiro, botafoguense roxo, reproduz abaixo. Não importa se você, leitor hipócrita, meu igual, meu irmão, torce pelo Palmeira, Corinthians, Flamengo, Vasco, Fluminense, Cruzeiro. Aliás, sejamos honestos: não é preciso ser torcedor exclusivamente do Botafogo para apreciar o futebol do craque alvinegro, não é mesmo? Confiram:

Na primeira parte da entrevista com o FIFA.com, Seedorf falou sobre a chegada ao Brasil e como rapidamente tornou-se importante no Botafogo, assumindo o posto de líder de um elenco jovem. Aqui, nosso papo continua e dá detalhes de como o holandês exerce essa influência positiva, com atenção especial aos jovens.

Ele cruzou o oceano sem expectativas. Depois de uma temporada em que foi pouco aproveitado pelo técnico Massimiliano Allegri e não obteve ritmo de jogo no Milan, Clarence Seedorf apostou que conseguiria, aos 36 anos, voltar a jogar futebol com a frequência – sua média na carreira é de quase 50 partidas por ano – e a qualidade de sempre. Pois chegou ao Botafogo com a responsabilidade de liderar um elenco jovem e o status de herói. No aeroporto, uma multidão dava as boas vindas, com direito ao rosto do craque estampado em uma grande bandeira.

Adaptar-se não foi difícil. Seedorf já falava português. Aprendeu enquanto ouvia o lateral Roberto Carlos, com quem dividiu quarto por quatro anos em Madri. “Nunca vi alguém falar tanto por telefone”, conta, aos risos. O Rio de Janeiro, local de suas férias por alguns anos, não era novidade. Nem o arroz com feijão, prato dos mais simples e típicos brasileiros e que come “todos os dias. Não tem como escapar”.

Tão descomplicado e saboroso quanto o arroz com feijão é o futebol que o Botafogo vem jogando desde a chegada de sua estrela. O Glorioso conquistou o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro e lidera o Campeonato Brasileiro após 16 rodadas. Muito do mérito é de Seedorf e da influência positiva que exerce na equipe. Confortável na posição de comandante dentro de campo, o holandês contou ao FIFA.com os porquês do sucesso nos gramados brasileiros.

Muitos dizem que você é o mais brasileiro dos estrangeiros no Brasil. É, claro, um elogio. Você se sente um pouco brasileiro também?
Clarence Seedorf: Eu me sinto um pouco brasileiro, sim. Claro que é um elogio. Os fatos dizem que os melhores jogadores saíram daqui. Acho que têm poucos países em que você sai e vê tanta camisa de futebol na rua. Qualquer pessoa, de qualquer situação social, sente o orgulho de levar a camisa do seu clube. O Suriname vê muito a Seleção Brasileira, junto com a holandesa. Quando eu assisti à Copa de 1986, meu pai teve que me levar para fora e me acalmar quando o Brasil perdeu da França. Eu estava chorando, com raiva, era o último torneio do Zico. O futebol para mim era aquele.

E é tão diferente para você o futebol brasileiro do europeu?
CS: O diferente é a disciplina, a aplicação tática. A disciplina existe muito mais na Europa do que aqui. Aqui existe muito mais talento puro, mais qualidade individual. Não estou falando que lá não tem qualidade ou aqui não tem tática. Isso dentro do campo. Fora do campo é completamente oposto. Quem vive e joga na Europa viaja no máximo quatro horas, e isso durante a Champions League. Quando joga no próprio país viaja 1h30min no máximo. As viagens aqui… De Porto Alegre para a Bahia são 4h30min. É bem difícil a parte logística. Até a diferença de temperatura do norte para o sul. Esses são os maiores desafios para adaptação.

Essa disciplina europeia já vem da formação ou os técnicos são mais exigentes?
CS: É uma questão de organização. A Seleção Brasileira tem aplicação tática como todos os outros, senão não vence. O futebol internacional é assim. Não é só a Europa, mas com certeza a Europa tem essa cultura. A educação é um pouco mais rígida. Aqui, na América do Sul, é um pouco mais livre. Quando um país tem dificuldade, situação de crise, existe mais criatividade. O Brasil tem uma disciplina com sabor sul-americano. Todo mundo tem que defender da mesma maneira. Pode ser mais na frente, pode ser mais atrás, mas tem que ter compactação, que é a palavra-chave para todos. Atacando, você vai ver a diferença da aplicação tática. Na Europa, têm muitos treinadores que são muito esquemáticos para atacar. E quanto mais ao sul você vai, mais o jogador tem liberdade para usar a criatividade. Você vê Holanda e Dinamarca e depois vê a Espanha, é completamente diferente. Continua sendo Europa, mas você tem muito mais liberdade para trocar de posições, procurar jogada individual. No Brasil, pela qualidade individual que tem, os treinadores dão essa liberdade. Eles querem que os jogadores vão para cima. Se têm dois marcadores, o jogador acha que pode passar pelos dois e não tem problema, ele tenta. Você tenta fazer isso na Holanda, eles te chamam. “Dois jogadores? Volta a bola para trás, vira a bola”. É outra mentalidade. Não é um melhor do que o outro. Seguramente, eu estou mais próximo do futebol brasileiro. Continuar lendo

Share